Além da rigidez dos padrões de beleza, estudos indicam conexão neurológica
para a maior incidência de distúrbios relativos à alimentação no sexo feminino

Os transtornos alimentares são cada vez mais frequentes no mundo todo, porém, ao longo dos últimos anos, o aumento no registro do número de casos, impulsionado pela pandemia, acendeu o alerta da Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a entidade, só no Brasil, cerca de 4,7% da população sofre de distúrbios alimentares e, durante a adolescência, esse índice chega a 10%.

Condição grave relacionada a comportamentos alimentares contínuos que afetam negativamente a saúde, o transtorno alimentar, segundo o ”Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – 5ª edição”, é o termo utilizado para definir síndromes psiquiátricas caracterizadas pela preocupação persistente em relação à alimentação e aparência corporal. Tal angústia compromete a saúde física e mental, e impacta diretamente as necessidades nutricionais do indivíduo.

Mulheres mais vulneráveis

Vale ressaltar que as mulheres fazem parte do grupo de risco para todos os tipos de transtornos alimentares. Entre elas, os distúrbios podem se diferenciar por aspectos psicológicos, socioeconômicos, étnicos, entre outros.

padrão de beleza e transtornos alimentares

A busca por um corpo idealizado pode causar consequências graves à saúde da mulher.

Pesquisadores da Universidade York, no Reino Unido, analisaram os processos que acontecem no cérebro quando homens e mulheres analisam a situação de sobrepeso do próprio corpo. O resultado sugere haver uma conexão neurológica para a maior incidência dos transtornos no sexo feminino, além, é claro, dos rígidos padrões de beleza.

Um estudo publicado na Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento indica que a bulimia e anorexia são os tipos de transtorno mais comuns entre as mulheres. De acordo com o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), a bulimia nervosa acomete cerca de 5% da população feminina mundial, enquanto a anorexia nervosa afeta 1% das mulheres do mundo. A compulsão alimentar também é um dos tipos de transtorno de maior incidência entre as mulheres.

Tratamento dos transtornos alimentares

Transtornos alimentares possuem causas visíveis e fácil tratamento se diagnosticados com antecedência.

O tratamento dos transtornos alimentares demanda abordagens multidisciplinares e o acompanhamento de diferentes especialidades da saúde, situando o nutricionista no centro do acompanhamento à paciente. Nesse contexto, a boa relação entre o profissional e a paciente pode determinar o êxito do tratamento. Muitas mulheres com transtornos alimentares podem apresentar também quadros de ansiedade e depressão, tornando o acolhimento e o diálogo ferramentas fundamentais para a aderência ao tratamento.

Meeting Brasileiro de Nutrição Estética

Congresso pioneiro na área da nutrição estética e saúde da mulher no Brasil, o 7° Meeting Brasileiro de Nutrição Estética (MBNE) estará de volta à cidade de São Paulo entre os dias 13 e 14 de maio de 2022. O evento reunirá profissionais internacionais da saúde e as principais marcas da indústria para fomentar a atuação clínica na nutrição estética no país. O congresso promoverá o debate científico sobre os pilares da nutrição estética e saúde da mulher, além de apresentar as principais tendências em nutracêuticos, suplementos e superfoods para a prescrição dos nutricionistas.

Clique aqui e saiba mais sobre o MBNE 2022.