Modulação nutricional na saúde reprodutiva e hormonal feminina!

A carga global de doenças entre as mulheres vem se modificando significativamente nas últimas décadas. As doenças não transmissíveis (DNT) são as principais causas de incapacidade para as mulheres em quase todos os países do mundo. Os esforços globais para melhorar a saúde das mulheres, nesse sentido, se concentram principalmente na melhoria da saúde sexual e reprodutiva.

A obesidade e o excesso de gordura corporal, chamado de overfat, estão aumentando em todo o mundo e têm influências prejudiciais nas funções fisiológicas do organismo, sobretudo, na saúde reprodutiva. Em particular, mulheres com alta proporção de tecido adiposo apresentam perturbações do eixo ovariano hipotalâmico e são acometidas com disfunção menstrual, podendo levar a condições de anovulação e infertilidade. Além disso, aquelas que apresentam distúrbios hormonais como na síndrome do ovário policístico (SOP), são propensas a ter maior comprometimento na fertilidade e no equilíbrio deste eixo.

No quadro de obesidade e overfat, os adipócitos atuam frequentemente como um órgão endócrino, liberando diversas moléculas bioativas, chamadas de adipocinas. Essas citocinas derivados do tecido adiposo interagem de forma variável com algumas vias moleculares que são relacionadas à resistência à insulina, hipertensão artéria, inflamação aguda e crônica, risco cardiovascular, coagulação e diferenciação/maturação oocitária.

O impacto da obesidade sobre a função reprodutiva é atribuível aos mecanismos endócrinos que interferem nas ações neuroendócrinas e ovariana. Em um público feminino obeso, a aromatização periférica afeta a secreção de gonadotrofinas, devido ao efeito aumentado dos andrógenos e estrogênios.

É comprovado cientificamente que as estratégias nutricionais para modulação do peso e mudanças no estilo de vida de mulheres com excesso de gordura corporal podem restaurar a ciclicidade menstrual e ovulação e melhorar a probabilidade de concepção.

Módulo Saúde da Mulher, que fará parte da programação científica do MBNE 2019, contará com temas relacionados à infertilidade feminina e modulação hormonal e estética na SOP, ministrados pela Dra. Mariana Halla e o Dr. Dirceu Pereira.

REFERÊNCIAS

 FAGHFOORI, Z. et al. Nutritional management in women with polycystic ovary syndrome: A review study. Diabetes Metab Syndr., v. 11, supp. 1, p. S429-S432, nov. 2017.

SEYEDFATEMI, N. et al. Women’s Health Concept: A Meta-Synthesis Study. Iranian J Publ Health, v. 43, n.10, p. 1335-44, oct. 2014.

SILVESTRIS, E. et al. Obesity as disruptor of the female fertility. Reproductive Biology and Endocrinology, v. 16, n. 22, p. 1-13, 2018.

PETERS, S. et al. Women’s health: a new global agenda. BMJ Glob Health, v. 1, n. 3, p. 1-8, 2016.