No decorrer da vida da mulher, ela passa por diferentes fases que afetam os níveis hormonais presentes em seu organismo. Essas alterações hormonais são capazes de causar oscilações de humor, retenção corporal e até mesmo, influenciar no desenvolvimento de patologias, como quadros endocrinológicos. 

Hormônios nas diferentes fases da vida da mulher

 

 

A primeira alteração hormonal na saúde da mulher acontece em torno dos 12 a 14 anos, quando ocorre a menarca. A menarca é caracterizada pelo início da produção de hormônios pelo ovário, dando início a vida fértil da mulher. Neste marco, o ciclo menstrual tende a acontecer devido a ação do estrogênio no endométrio, causando assim, a irregularidade dos primeiros ciclos menstruais.

Conforme o marco da menarca, o organismo da mulher terá a chegada da puberdade. A puberdade é marcada pela atividade gonadal e pela secreção do hormônio secretor de gonadotrofinas (GnRH), responsáveis pelo desenvolvimento de características sexuais secundárias, mudanças corpóreas e até mesmo a capacidade de reprodução.

Posteriormente, o ciclo menstrual se regulará e a mulher passará por outros tipos de alterações, como é possível observar em um estudo realizado por Draper et al., (2018), onde os autores analisaram os níveis de metabólitos e nutrientes em cada fase do ciclo: menstrual, folicular, periovular, lútea e pré-menstrual, como é possível ver abaixo.

 

 

saúde hormonal da mulher

Tabela referente ao artigo (DRAPER et al., 2018) que analisa os níveis de metabólitos e nutrientes em cada fase do ciclo. Ao lado direito, estão os nutrientes analisados, e do lado esquerdo, a escala, onde a cor vermelha representa o aumento do nutriente, e a cor azul a a sua redução.

 

Por fim, o último marco de alterações hormonais da mulher é a menopausa, caracterizada pela interrupção do ciclo menstrual por mais de 12 meses consecutivos, que acontece em mulheres na faixa etária entre 45 e 55 anos. Ela acontece em decorrência do envelhecimento dos folículos ovarianos que, consequentemente, causa a diminuição da resposta ao hormônio folículo estimulante (FSH). A menopausa é a responsável por alterações gastrointestinais, neurológicas e sexuais em mulheres desta faixa etária. Por consequência das diferentes alterações que a menopausa pode causar na saúde da mulher, alguns estudos apontam que a melhor saída para o seu tratamento seria a reposição hormonal, principalmente de estrogênio e progesterona. Entretanto, é importante ressaltar a controvérsia deste tratamento, tendo em vista que alguns estudos apontam que esse tratamento pode influenciar no desenvolvimento de câncer em mulheres que já possuem histórico.

Qual o impacto da alteração hormonal na saúde sexual da mulher

Casal sentados na cama e sem se falar

 

A alteração hormonal é capaz de desencadear a diminuição da libido sexual em decorrência da diminuição dos níveis de testosterona no organismo feminino.

Existem diversas razões que impulsionam a deficiência deste hormônio, como:

  • Sobrepeso e obesidade: sabe-se que o aumento de peso corporal pode estar associado ao desenvolvimento de transtornos psiquiátricos, como depressão e ansiedade, e os mesmos, ocasionam na baixa auto-estima e, consequentemente, na diminuição da libido sexual. Além disso, o aumento de peso influencia na alteração dos níveis de estrogênios e andrógenos, que impacta na diminuição pelo interesse sexual.
  • Sedentarismo: a falta de prática de atividade física fortalece o mecanismo e os danos causados pelo estresse oxidativo, além de influenciar no aumento de peso e, assim, na auto-estima piora da saúde mental da paciente.

Hormônios & Mulher na 7ª Edição do MBNE

Os hormônios possuem grande influência na saúde da mulher, principalmente durante a menopausa. Mas você sabe o que a ciência discorre sobre o tratamento com reposição hormonal? Para compreender mais sobre o assunto, inscreva-se no MBNE e assista a palestra Para saber mais sobre essa associação, não perca a palestra da Dra. Mariana Halla e Dra. Lucyanna Kalluf.

O 7º MBNE acontecerá nos dias 13 e 14 de maio, em São Paulo, e receberá os maiores palestrantes da nutrição estética no país, além das principais marcas de suplementos, nutracêuticos e superfoods durante a Nutri Beauty Expo.

Clique aqui e saiba mais sobre o MBNE 2022.

REFERÊNCIAS

BARROS, Bruna de Siqueira et al. ERICA: age at menarche and its association with nutritional status. Jornal de Pediatria, [S.L.], v. 95, n. 1, p. 106-111, jan. 2019. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.jped.2017.12.004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jped/a/nS4DxPy4fqCW9vwbZMm6c8N/?lang=pt#:~:text=Em%20rela%C3%A7%C3%A3o%20%C3%A0%20faixa%20et%C3%A1ria,entre%2012%20e%2013%20anos.. Acesso em: 04 mar. 2022.

PINKERTON, Joann V.. Hormone Therapy for Postmenopausal Women. New England Journal Of Medicine, [S.L.], v. 382, n. 5, p. 446-455, 30 jan. 2020. Massachusetts Medical Society. http://dx.doi.org/10.1056/nejmcp1714787. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31995690/. Acesso em: 04 mar. 2022.

MEDEIROS, Paola Cristine de Souza et al. Puberdade precoce e as consequências emocionais no desenvolvimento infantil. Revista Eletrônica Acervo Saúde, [S.L.], v. 13, n. 4, 29 abr. 2021. Revista Eletronica Acervo Saude. http://dx.doi.org/10.25248/reas.e7127.2021. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/saude/article/view/7127/4525. Acesso em: 04 mar. 2022.

DRAPER, C. F.; DUISTERS, K.; WEGER, B.; CHAKRABARTI, A.; HARMS, A. C.; BRENNAN, L.; HANKEMEIER, T.; GOULET, L.; KONZ, T.; MARTIN, F. P.. Menstrual cycle rhythmicity: metabolic patterns in healthy women. Scientific Reports, [S.L.], v. 8, n. 1, p. 1-15, 1 out. 2018. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1038/s41598-018-32647-0. Disponível em: https://www.nature.com/articles/s41598-018-32647-0. Acesso em: 04 mar. 2022.