Informações técnicas para conduta nutricional no melasma

  1. Modulação de antioxidantes dietéticos via alimentação e suplementação, como betacaroteno, tocoferóis e bioflavonoides, pois são capazes de suprimir os intermediários reativos gerados em condições de estresse fotoxidativo na exposição à radiação UV.
  1. Inclusão de extrato de semente de uva, rico em proantociadinas, que atua na redução da hiperpigmentação cutânea característica do melasma.
  1. Prescrição de extrato de romã para minimizar a pigmentação da pele induzida pela UV e reduzir o número de melanócitos DOPA-positivos e a síntese de melanina devido à presença de ácido elágico.
  1. Inclusão de pycnogenol (Pinus pinaster) em torno de 25mg, três vezes ao dia, para favorecer as ações antioxidantes e anti-inflamatórias na epiderme graças à alta concentração de ácidos fenólicos, catequinas e taxifolina.
  1. Prescrição de extrato de ginseng em pó ou folhas que, por ser fonte de ginsenosídeos e compostos fenólicos, demonstra eficácia nas atividades de imunomodulação, bloqueio na formação de espécies reativas de oxigênio UVB induzida e inibição da tirosinase na síntese de melanina.
  1. O equilíbrio da ingestão de ômega-3 é essencial para prevenir lesões cutâneas desencadeadas pelos componentes reativos da exposição à radiação ultravioleta.

Referências

LOZER, P; DAVID, R. Melasma: uma abordagem nutricional. Rev Bras Nutr Clin, v. 29, n. 1, p. 86-90, 2014.

HOLLINGER, J. et al. Are Natural Ingredients Effective in the Management of Hyperpigmentation? Journal of Clinical and Aesthetic Dermatology, v. 11, n. 2, p. 28-37, feb. 2018.