BLOGS CIENTÍFICOS

Pro Aging e nutrição integrada!

Segundo o IBGE, desde 1940 a expectativa de vida dos brasileiros teve um aumento de 30,8 anos. Dados de 2018 indicam que a expectativa de vida para homens é de 72,8 anos e para mulheres, 79,9 anos. Paralelamente, tem-se visto um aumento da prevalência de doenças crônicas não transmissíveis. As evidências científicas sugerem a existência de um vínculo entre a inflamação crônica e o processo de envelhecimento, que resulta na incidência de doenças associadas ao avanço da idade, como doenças cardiovasculares, diabetes melitus, câncer, doenças intestinais e asma.

O envelhecimento é um fenômeno que acontece naturalmente. Em contrapartida, se não forem tomados os devidos cuidados e atenção, esse processo pode se tornar deletério e progressivo. Estudos apontam que a ação das espécies reativas de oxigênio de forma exacerbada pode ser uma das principais causas de doenças associadas ao envelhecimento.

As espécies reativas de oxigênio são produzidas habitualmente pelos processos oxidativos do organismo. De forma a eliminar essas moléculas, evitar a morte celular e danos no DNA, os antioxidantes desempenham a função de combate à essas espécies. Porém, quando esse sistema entra em desequilíbrio, ou seja, quando as espécies reativas de oxigênio são produzidas em excesso e os antioxidantes não são suficientes para removê-las, há uma quebra na homeostase do organismo, gerando um estresse que pode levar ao desenvolvimento de agravos inflamatórios.

As intervenções nutricionais podem desempenhar um papel importante como forma de modulação da saúde e longevidade. Manter uma alimentação rica em vitaminas antioxidantes, como as vitaminas A, C e E, é uma forma de prevenção aos efeitos nocivos dos radicais livres em excesso. Além disso, de acordo com estudos, a suplementação dietética de probióticos no contexto do envelhecimento mostrou ter potencial como aliviador de aspectos deletérios do envelhecimento, principalmente na saúde gastrointestinal e no sistema imunológico.

Sabe-se que, além da questão da deterioração natural do sistema imunológico, chamada de imunossenescência, outros fatores são comuns no envelhecimento, como as queixas de flacidez, celulite e gordura localizada, especialmente no caso das mulheres, onde a prevalência dessas condições é maior. Estudos comprovam que condutas nutricionais podem ajudar na redução do tecido adiposo, na diminuição de componentes inflamatórios e na melhora da circulação sanguínea.

O Módulo Pro Aging do MBNE 2020 traz o Dr. Salvador Talon e a Dra. Eliane Tagliari para explorar as atualizações científicas sobre a destoxificação celular, com formas de retardar o envelhecimento feminino através da modulação anti-inflamatória, e estratégias nutricionais para o tratamento da desarmonia corporal, que tem como principais queixas a flacidez, a celulite e a gordura localizada.

 

REFERÊNCIA

IBGE. Expectativa de vida dos brasileiros aumenta para 76,3 anos em 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/. Acesso em: 09 mar. 2020.

JURADO-FASOLI, L.; CASTILLO, M. J.; AMARO-GAHETE, F. J.. Dietary Inflammatory Index and S-Klotho Plasma Levels in Middle-Aged Adults. Nutrients, Spain, v. 12, n. 2, p.1-8, 21 jan. 2020.

SIMAS, L. A. W.; GRANZOTI, R. O.; PORSCH, L. Estresse oxidativo e o seu impacto no envelhecimento: uma revisão bibliográfica. Brazilian Journal Of Natural Sciences, Santa Catarina, v. 2, n. 2, p.80-85, 21 maio 2019.

SHARMA, R.; PADWAD, Y. Probiotic bacteria as modulators of cellular senescence: emerging concepts and opportunities. Gut Microbes, India, p.1-15, 10 dez. 2019.

Deixe um comentário

Blogs recentes