Um corpo saudável e bonito é algo cada vez mais priorizado pelas pessoas, seja qual for o objetivo. Emagrecimento, melhora da saúde da pele, redução dos sinais do envelhecimento ou ganho de massa muscular são as grandes metas que o paciente busca em atendimento, sendo a nutrição estética a principal estratégia a ser adotada. Por isso, a alimentação equilibrada, a prática de exercícios físicos regulares e a complementação com fórmulas individualizadas e suplementos específicos tornam-se essenciais para atender, de forma efetiva, a esses objetivos.

Os avanços da Estética Médica e Cosmética no Brasil são surpreendentes, sendo cada vez mais acessíveis e práticos à população. Entretanto é preciso sempre evidenciar o papel dos alimentos em todo e qualquer tratamento, seja estético ou não. O equilíbrio é a chave do sucesso no tratamento nutricional, independentemente do objetivo a ser alcançado. Dietas da moda, restrição de alimentos e falta de planejamento são atitudes comumente adotadas pelas pessoas e que podem levar à privação de nutrientes essenciais ao organismo.

A modelação corporal envolve não só o emagrecimento e a manutenção do peso, mas, também, diversos mecanismos associados à saúde da pele, dos cabelos, das unhas e a todos os aspectos da beleza. Esses fatores têm grande influência da saúde interna do organismo, envolvendo processos inflamatórios, autoimunes e até certas patologias de cunho infeccioso que refletem na aparência externa.

Em questões fisiopatológicas, o processo inflamatório induz à diversas alterações que afetam o funcionamento celular, como a resistência à insulina e maior liberação de mediadores inflamatórios. O tecido adiposo é secretor de produtos e mediadores como IL-6, leptina e adiponectina, classificando a obesidade como uma reação de caráter inflamatório crônico.

No processo de inflamação crônica são liberadas proteases citotóxicas e radicais livres de oxigênio, responsáveis por danos progressivos em diversos órgãos, como a pele, devido ao processo de quebra da elastina e do colágeno da pele, propiciando o aumento do envelhecimento cutâneo.

O planejamento nutricional que envolve a modelação corporal deve abranger não só estratégias atualizadas para a perda de peso, mas, também, formas de cuidar da saúde da pele e dos processos inflamatórios internos que provocam as desordens estéticas, alguns exemplos são alopecia, lipodistrofia ginoide e melasma.

REFERÊNCIAS

PASCHOAL, Valéria; NAVES, Andréia; FONSECA, Ana Beatriz B. L. da. Nutrição Clínica Funcional dos Princípio à Prática Clínica. São Paulo: Vp, 2008

PUJOL, Ana Paula. Nutrição Aplica à Estética. Rio de Janeiro: Rubio, 2011.

VILHENA, J; MEDEIROS, S; NOVAES, J. A violência da imagem: estética, feminino e contemporaneidade. Rev. Mal-Estar Subj., Fortaleza, v. 5, n. 1, p. 109-144, mar. 2005.