O estilo de vida contemporâneo evidência a necessidade crescente dos indivíduos de se manterem nos padrões impostos pela sociedade, que equivalem, hoje, à busca de corpos magros, atléticos, jovens e saudáveis. Esse interesse crescente resulta em novas pesquisas na área da nutrição, que traz, a partir de uma alimentação equilibrada, micronutrientes capazes de oferecer ao organismo diversos benefícios para manutenção da saúde e estética.

As catequinas representam compostos interessantes para a nutrição estética, pois previnem o envelhecimento celular, desempenham efeito termogênico, anti-inflamatório e auxiliam no controle do peso. Esses polifenóis reagem com as espécies reativas de oxigênio, impedindo que reajam com a membrana plasmática de estruturas orgânicas, com isso causando danos celulares. O efeito termogênico se dá pela capacidade das catequinas de modularem o sistema nervoso simpático, aumentando a termogênese e a oxidação de gorduras. A ação anti-inflamatória é relacionada ao poder de inibir o fator de necrose tumoral e interferir no metabolismo do ácido aracdônico, ambos associados à resposta inflamatória.

O zinco também foi alvo de pesquisadores devido ao seu efeito antioxidante, antimicrobiano, redutor da produção de sebo e de proteção contra a ação dos raios ultravioleta. Esse mineral é considerado antioxidante por ser um cofator da superóxido dismutase (SOD), enzima fundamental para o sistema antioxidante endógeno, pois catalisa a transformação de uma espécie altamente reativa, o radical livre, em uma forma menos danosa às células. Os efeitos antimicrobiano e de redução da proteção de sebo têm ação interessante no combate à acne: o primeiro por inibir a enzima lipase do Propionobacterium acnes, bactéria associada ao desenvolvimento da acne, e o segundo por suprimir a produção de sebo ao inibir a enzima 5-alfarredutase, responsável pela conversão da testosterona em um hormônio que estimula a produção de sebo.

Conhecida pelo seu papel na imunidade, a vitamina C apresenta também outros efeitos de interesse para a nutrição estética. Essa vitamina é o antioxidante mais abundante na pele humana e faz parte do complexo grupo de antioxidantes enzimáticos e não enzimáticos que protegem a pele da radiação dos raios UV. Exerce, também, influência na síntese do colágeno, proteína fundamental para firmeza, elasticidade e estrutura da pele, visto que serve como cofator de enzimas responsáveis por estabilizar e ligar as moléculas de colágeno, e estimular a peroxidação lipídica, que tem como produto o malondialdeído, substância responsável por estimular a expressão de genes ligados à produção de colágeno.

Já o selênio é fundamental para o funcionamento do organismo, pois participa de aproximadamente 25 selenioproteínas. A enzimas dependentes de selênio, entre elas, desidrogenases, glutationa peroxidades, superóxido dismutases, apresentam importante papel antioxidante contra os radicais livres, além do selênio auxiliar na regeneração de outros antioxidantes importantes para o corpo, como vitaminas C e E.

Uma alimentação equilibrada, variada em frutas e vegetais, garante o aporte necessário de vitaminas e minerais ao organismo. Esses micronutrientes asseguram o funcionamento correto do corpo humano, prevenindo desordens estéticas e metabólicas. Em alguns casos, quando o indivíduo está cronicamente sob ação de fatores prejudiciais à saúde, a suplementação de micronutrientes específicos pode otimizar o processo de proteção da pele, das unhas e dos cabelos contra envelhecimento, lesões, queda e enfraquecimento, por exemplo.

REFERÊNCIAS:

EVANS, J. R.; LAWRENSON, J. G. Antioxidant vitamin and mineral supplements for slowing the progression of age-related macular degeneration. Cochrane Database Of Systematic Reviews, p.1-120, 30 jul. 2017. Wiley-Blackwell. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.1002/14651858.cd000254.pub4>.

KUSS, F. Agentes Oxidantes e Antioxidantes∗. 2005. 10 f. Tese (Doutorado) – Curso de Ciências Veterinárias, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, 2005.

PUJOL, A. P. Nutrição aplicada à Estética. Rio de Janeiro: Rubio, 2011.

RAYMAN, M. P. Selenium and human health. The Lancet, v. 379, n. 9822, p.1256-1268, mar. 2012. Elsevier BV. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.1016/s0140-6736(11)61452-9>.

SENGER, A. E. V. Chá verde (Camellia sinensis) e suas propriedades funcionais nas doenças crônicas não transmissíveis. Scientia Medica, Porto Alegre, v. 20, n. 4, p.292-300, jan. 2010.

SCHMITZ W.; SAITO, Y, A.; ESTEVÃO, D.; SARIDAKIS, O, H.; Green tea as a chemoprotector. Ciências biológicas e da saúde, Londrina, v. 26, n. 2, p. 119-130, jul./dez. 2005.

TELANG, P. Vitamin C in dermatology. Indian Dermatology Online Journal, v. 4, n. 2, p.143-148, 2013. Medknow. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.4103/2229-5178.110593>.