Uma das desordens estéticas que mais impacta a qualidade de vida de quem é acometido por ela é o melasma, uma condição de hiperpigmentação ou hipermelanose facial em que há presença de manchas assintomáticas com disposição simétrica e bordas irregulares, de cor marrom clara a escura. Há uma prevalência maior em mulheres do que em homens, podendo afetar até 30% do público feminino em idade reprodutiva, em algumas populações.

Alguns dos fatores de risco para seu aparecimento são: predisposição genética, alterações de hormônios sexuais, intensa exposição à radiação ultravioleta (UV), processo inflamatório, alterações tireoidianas, estresse e uso de pílulas contraceptivas. Sua fisiopatologia ainda é estudada pela literatura científica e, segundo estudos histológicos, não se limita apenas aos melanócitos, mas, também, ao aumento de vascularização, da elastose solar e dos mastócitos dérmicos. Alguns estudos de revisão observam que múltiplas vias de sinalização, incluindo as vias MSH/cAMP, KIT e Wnt, estão envolvidas na regulação positiva da tirosinase e MITF, assim, resultando na estimulação da melanogênese e no desenvolvimento de melasma (PASSERON e PICARDO, 2018; LEE, 2015).

Assim, frente aos fatores de risco e da fisiopatologia, o nutricionista é um importante aliado na melhora da autoestima dos pacientes, pois pode contribuir para o tratamento efetivo e integrado. Incluir na prescrição dietética alimentos, nutrientes e compostos bioativos antioxidantes, anti-inflamatórios e com ação fotoprotetora faz parte do manejo nutricional para o tratamento desta desordem estética.

 

Polypodium leucotomos

O Polypodium leucotomos é uma planta nativa da América Central e rica em compostos fenólicos capazes de atuarem como fotoprotetores. Segundo Parrado et al. (2016), os mecanismos envolvidos em seu efeito são a inibição da geração de radicais livres e dos danos causados por estes, após a exposição UV, através da inibição do AP1 e NF-κB, também reduzindo a inflamação. Um estudo controlado, randomizado e duplo-cego, conduzido por Goh et al. (2018), avaliou os efeitos do Polypodium leucotomos em asiáticos com melasma, residentes de um país equatorial. O grupo de intervenção (n = 20), já em tratamento da doença (uso de filtro solar cutâneo fator 50 e hidroquinona tópica na concentração de 4%), recebeu, por 12 semanas, 480mg do extrato de Polypodium leucotomos (Fernblock®) dividido em duas tomadas. Como resultados, o grupo de intervenção teve o clareamento da pigmentação acelerado em relação ao grupo placebo.

 

Licopeno

Outro potente fotoprotetor é o licopeno. Um estudo controlado, randomizado e conduzido por Rizwan et al. (2011) avaliou os benefícios de tomate enriquecido com licopeno no combate ao fotodano. O grupo de intervenção recebeu 55g de molho de tomate com 16mg de licopeno no azeite de oliva por 12 semanas. Como resultado, houve redução da metaloproteinase-1 de matrix e dano ao DNA mitocondrial ocasionados pela exposição aos raios UV, assim, demonstrando que o licopeno é um importante antioxidante e fotoprotetor.

 

Polifenóis

Além disso, a inclusão de alimentos fonte de flavonoides como apigenina (camomila, salsa, tomilho), genisteína (soja e derivados), fisetina (morango, tomate, cebola), EGCG (chá-verde, chá-branco), luteolina (aipo, salsa, alcachofra), quercetina (maçã, cebola) e kaempferol (maçã, cebola, frutas cítricas) pode auxiliar no controle do melasma. Isso porque estes exibem efeitos melanogênicos ou antimelanogênicos, principalmente, pelo fator transcricional MiTF e/ou pelas enzimas tirosinase, DCT ou TYRP-1, proporcionando a inibição da síntese de melatonina. Os flavonoides também auxiliam na modulação do estresse oxidativo gerado pela exposição aos raios UV.

As antocianinas fazem parte do grupo dos polifenóis, estando presentes na casca da uva, nas frutas vermelhas, no açaí e na jabuticaba. Elas podem ser fortes aliadas no tratamento do melasma, já que auxiliam no clareamento da pele por inibição da ação da tirosinase e da síntese de melanina.

 

Vitaminas C, E e betacaroteno

São nutrientes já bem estabelecidos na literatura como potentes fotoprotetores, com ação antioxidante. São capazes de modular a expressão de Nrf2, PGC1α e SIRT1.

 

Outros potenciais nutrientes

 

Parrado et al. (2018) apresentam uma revisão apontando a vitamina D3 e ômega-3, probióticos, extrato de cacau, extrato de romã, extrato de frutas cítricas associadas ao alecrim e outros nutrientes e compostos bioativos como agentes fotoprotetores, com ação antioxidante e anti-inflamatória. Inclusive, os autores pontuam a suplementação com probióticos como Lactobacillus johnsonii ou rhamnosus, sozinhos ou associados a nutrientes, como protetora contra os danos da exposição aos raios UV.

 

REFERÊNCIAS

 

PASSERON, T.; PICARDO, M. Melasma, a Photoaging Disorder. Pigment Cell and Melanoma Research, v. 31, n. 4, p. 461-465, 2018.

LEE, A-Y. Recent Progress in Melasma Pathogenesis. Pigment Cell and Melanoma Research, v. 28, n. 6, p. 648-660, 2015.

PARRADO, C. et al. Fernblock (Polypodium Leucotomos Extract): Molecular Mechanisms and Pleiotropic Effects in Light-Related Skin Conditions, Photoaging and Skin Cancers, a Review. Internation Journal of Molecular Sciences, v. 17, n. 7, p. 1026, 2016.

GOH, C-L. et al. Double-blind, Placebo-controlled Trial to Evaluate the Effectiveness of Polypodium Leucotomos Extract in the Treatment of Melasma in Asian Skin: A Pilot Study. Journal of Clinical and Aesthetic Dermatology, v. 11, n. 3, p. 14-19, 2018.

RIZWAN, M. et al. Tomato paste rich in lycopene protects against cutaneous photodamage in humans in vivo: a randomized controlled trial. The British Journal of Dermatology, v. 164, n. 1, p. 154-162, 2011.

SARKAR, R.; BANSAL, A.; AILAWADI, P. Future therapies in melasma: What lies ahead? Indian Journal of Dermatology, Venereology and Leprology, v. 86, n. 1, p 8-17, 2020.

PARRADO, C. et al. Oral Photoprotection: Effective Agents and Potential Candidates. Frontiers in Medicine (Lausanne), v. 5, p. 188, 2018.

SMITH, F. L.; MEYSKENS, F. L. Molecular Mechanisms of Flavonoids in Melanin Synthesis and the Potential for the Prevention and Treatment of Melanoma. Molecular Nutrition and Food Research, v. 60, n. 6, p.1264-1274, 2016.

SIMAS, L.A.W.; WOLPE, R.E. Manual de Atendimento em Nutrição Estética. Curitiba: Autores Paranaenses, 2016.