Os transtornos de humor representam um grande problema de saúde pública, atualmente, tendo em vista que estão relacionados ao aumento de comorbidades físicas, custos de saúde elevados e redução da qualidade de vida. Estima-se que, até o ano de 2020, os transtornos mentais cheguem ao segundo lugar no ranking mundial de doenças neurológicas. O transtorno de ansiedade, em particular, pode promover o aparecimento de sintomas como inquietação, preocupação, irritabilidade, tensão muscular e problemas de sono, além de apresentar um impacto econômico considerável na sociedade.

Os efeitos positivos em seu tratamento estão relacionados à atividade do neurotransmissor ácido gama-aminobutírico (GABA), responsável por contrabalancear a ação excitatória do glutamato. Diversos estudos têm demonstrado que os fitoquímicos, como saponinas, alcaloides, polifenóis, triterpenoides, óleos essenciais e flavonoides, apresentam atividades ansiolíticas e efeitos antidepressivos devido à inibição da transmissão excitatória e à redução da ansiedade, justamente pela ativação do receptor GABAA. Dessa forma, a utilização de fitoterápicos que apresentam essa substância é um grande aliado na redução de seus sintomas:

– Camomila (Matricaria recutita)

A presença de apigenina promove um efeito tranquilizante suave, com ação ansiolítica graças à modulação do GABA, noradrenalina, dopamina e da neurotransmissão de serotonina.

Um estudo publicado em 2015 demonstra que o consumo de uma xícara de chá/dia, por duas semanas, diminuiu a pontuação na escala de fadiga, depressão e sono de mulheres no período pós-parto.

– Melissa officinalis

A presença de óleo essencial, taninos, triterpenoides e flavonoides conferem sua capacidade de minimizar os efeitos da ansiedade. A suplementação de melissa, em uma dose de 600 mg/dia, por 15 dias, reduz de maneira significativa as manifestações de ansiedade.

Passiflora incarnata

Sua capacidade em melhorar a efetividade da sinapse GABAérgica favorece a redução da ansiedade. Um trabalho envolvendo pacientes no pré-operatório relata que a suplementação de P. incarnata (500mg) reduz a ansiedade sem induzir sedação.

Humulus lupulus

A presença de mircenol é capaz de modular a ação GABAérgica, conferindo ao lúpulo o seu efeito ansiolítico. Um estudo de delineamento cruzado, aleatorizado e controlado por placebo, envolvendo adultos jovens, demonstra que a suplementação de extrato seco de H. lupulus (200mg, duas vezes ao dia), por quatro semanas, é capaz de reduzir de maneira significativa os escores de ansiedade, depressão e estresse.

– Erythrina mulungu L.

A presença de alcaloides eritrinosos foi capaz de minimizar a ansiedade em camundongos de uma pesquisa. Sua utilização está associada ao aumento do tempo de sono. Estudos demonstram que sua atividade é semelhante à do diazepam.

– Ocimum basilicum

Também conhecido como manjericão, além de aromatizar diversas preparações, apresenta um grande efeito ansiolítico. Seus principais compostos bioativos são a apigenina, o linalol e o ácido ursólico. Vale ressaltar que seus efeitos ansiolíticos também podem ser conferidos pela utilização da aromaterapia.

É importante ressaltar que a utilização de fitoterápicos no tratamento de transtornos do humor deve ser orientada por um profissional, tendo em vista que existem inúmeras possibilidades de interação medicamentosa.

Referências bibliográficas

Amsterdam, J. D.; Li, Y.; Soeller, I. et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled trial of oral Matricaria recutita (chamomile) extract therapy of generalized anxiety disorder. J clin Psychopharmacol. 29(4): 378-382, 2009.

Chang, S-M.; Chen, C-H. Effects of an intervention with drinking chamomile tea on sleep quality and depression in sleep disturbed postnatal women: a randomized controlled trial. JAN. 2015.

Fedovata, J.; Kubatka, P.; Büsselberg, D. et al. Therapeutical strategies for anxiety and anxiety-like disorders using plant-derived natural compounds and plant extracts. Biomed Pharmacother. 95: 437-446, 2017.

Flausino Junior, O. A.; Pereira, A. M.; Bolzani, V. S.; Nunes-de-Souza, R. L. Effects of erythrinian alkaloids isolated from Erythrina mulungu (Papilionaceae) in mice submetted to animal models of anxiety. Biol. Pharm Bull. 30(2): 375-378, 2007.

Kyrou, I.; Christou, A.; Panagiotakos, D. et al. Effects of a hops (Humulus lupulus L.) dry extract supplement on self-reported depression, anxiety and stress levels in apparently healthy young adults: a randomized, placebo-controlled, double-blind, crossover pilot study. Hormones. 16(2): 171-180, 2017.

Martins, J.; Brijesh, S. Phytochemistry and pharmacology of antidepressant medicinal plants: A review. Biomedicine & Pharmacotherapy. 104: 343-365, 2018.

Miroddi, M. Calapai, G.; Navarra, M. et al. Passiflora incarnata L. ethnopharmacology, clinical application, safaty, and evaluation of clinical trials. J. Ethnopharmacol. 150(3): 791-804, 2013.

Movafegh, A.; Alizadeh, R.; Hajimohamadi, F. et al. Preoperative oral Passiflora incarnata reduces anxiety in ambulatory surgery patients: A double-blind, placebo-controlled study. Anesthesia & Analgesia. 106(6), 2008.

Qureshi, N. A.; Al-Bedah, A. M. Mood disorders and complementary and alternative medicine: a literature review. Neuropsychiatric Disease and Treatment. 9: 639-658, 2013.

Shakei, A.; Sahebkar, A.; Javadi, B. Melissa officinalis L. – A review of its traditional uses, phutochemistry and pharmacology. J Ethnopharmacol. 188: 204-28, 2016.

Srivastava, J. K.; Shankar, E.; Gupta, S. Chamomile: A herbal medicine of the past with bright future. Mol Med Report. 3(6): 895-901, 2010.