Nas dietas vegetarianas, uma das maiores preocupações é a ingestão adequada de proteínas em relação às necessidades diárias. Alguns conceitos antigos e erroneamente compreendidos levam ao desconhecimento das pessoas relativamente a esse fator. É necessário destacar que a proteína na alimentação advinda de origem animal ou vegetal tem diferentes formas de se incorporar no organismo.

A quantidade consumida de proteínas que são compostas por aminoácidos deve ser suficiente para cobrir as perdas corporais diárias de uma pessoa saudável, que pratique atividade física com moderação. A recomendação teórica de proteínas para a população é de aproximadamente 10 a 15% do valor energético total, podendo chegar a 35% em casos específicos. No organismo, há a produção de aminoácidos considerados não essenciais que compõem a estrutura das proteínas e, pela alimentação, é necessária a ingestão de alimentos fonte dos aminoácidos essenciais, aqueles que o organismo não sintetiza. Destaca-se que a proteína exógena não é absorvida integralmente, pois o organismo a reconheceria como um elemento estranho e ativaria o sistema imunológico a combatê-la. Assim, uma vez ingerida, a proteína necessita ser hidrolisada para ser absorvida em forma de aminoácido. Dessa forma, não há relação em ingerir certa proteína para se ter no organismo, visto que os aminoácidos componentes que serão responsáveis por sua formação.

O colágeno é uma proteína fibrosa que contém cadeias peptídicas dos aminoácidos glicina, prolina, lisina, hidroxilisina, hidroxiprolina e alanina, sendo sintetizado pelos fibroblastos. Essas cadeias são organizadas de forma paralela a um eixo, desse modo, formando as fibras de colágeno, que proporcionam resistência e elasticidade à estrutura presente. As proteínas colagenosas formam agregados supramoleculares, como fibrilas, filamentos ou redes, isoladas ou em conjunto com outras matrizes extracelulares. Sua principal função é contribuir com a integridade estrutural da matriz extracelular ou auxiliar na fixação de células nesta matriz. O colágeno apresenta propriedades mecânicas singulares, sendo quimicamente inerte. No envelhecimento, há uma diminuição significativa da produção do colágeno pelos fibroblastos, sendo necessária a estimulação dessa síntese a partir de manejos nutricionais específicos, principalmente na adequação de vitamina C na alimentação.

Por isso, a dieta vegetariana fornece aminoácidos em quantidade e qualidade adequadas para atingir as necessidades nutricionais, de acordo com um planejamento correto. A combinação de alimentos de origem vegetal fontes de aminoácidos precursores de colágeno com alimentos ricos em vitamina C é uma excelente associação para se estimular a síntese dessa proteína no organismo.

 

REFERÊNCIAS

AMARAL, R. C.; SOLARI, H. P. “Crosslinking” de colágeno no tratamento de ceratocone. Rev. Bras. Oftalmol., v. 68, n. 6, p. 359-64, nov. 2009.

BARONI, E. do R. V. et al. Influence of aging on the quality of the skin of white women. The role of collagen. Acta Cir. Bras., v.27, n. 10, p. 736-40, Aug. 2012.

FERREIRA DA SILVA, T.; BARRETTO PENNA, A.L. Colágeno: Características químicas e propriedades funcionais. Rev. Inst. Adolfo Lutz (Impr.), São Paulo, v. 71, n. 3, p. 530-39, 2012.

FISHER G.J; VARANI, J.; VOORHEES, J.J. Looking older: fibroblast collapse and therapeutic implications. Arch Dermatol Res., v. 144, n. 5, p. 666-72, Jan. 2008.

GROVER, C.N; et al. Crosslinking and composition influence the surface properties, mechanical stiffness and cell reactivity of collagen-based films. Acta Biomater., v. 8, n. 8, p. 3080-90, 2012.

SLYWITCH, E. Proteínas: a riqueza na dieta. In: SLYWITCH, E.  Alimentação sem carne. 2 ed. São Paulo: Alaúde Editorial, 2015. cap. 9, p. 182-255.