BLOGS CIENTÍFICOS

Candidíase e infecção urinária na mulher: a nutrição preventiva

nutrição clínica na saúde da mulher
O atendimento nutricional com foco na saúde da mulher tem seus desafios na prática devido às inúmeras alterações físico-psicológicas desse público e suas fases reprodutivas diferentes ao longo da vida. Algumas condições clínicas que acometem as mulheres com frequência podem ser moduladas com condutas nutricionais específicas e suplementação adequada. São elas: candidíase fúngica e infecção urinária de repetição.

Infecção urinária na mulher: será que é preciso avaliar a microbiota vaginal?

90% de uma microbiota vaginal saudável é composta por bactérias do gênero Lactobacillus. Os mecanismos propostos pelos quais este gênero pode prevenir a colonização vaginal por uropatógenos incluem: – Exclusão competitiva pela adesão de espécies de Lactobacilos às células uroepiteliais – Redução do pH vaginal pela produção de ácido láctico – Produção de bacteriocinas, surfactantes e outros produtos antimicrobianos 10% das mulheres contraem a infecção do trato urinário (ITU) uma vez por ano e 40% pode ter o episódio mais de 01 vez ao ano.

Como a nutrição e a suplementação pode ajudar no cuidado preventivo da ITU?

O manejo de estratégias que envolvem as mudanças no estilo de vida, como alimentação e suplementação magistral, faz parte da conduta complementar do tratamento por antibióticos da infecção urinária, ajudando no cuidado preventivo. O suco fresco foi associado a um menor risco de recorrência de ITU em vários estudos. As proantocianidinas são os fenólicos encontrados no cranberry e outras frutas que podem atuar contra adesão de micróbios na parede da uretra, além de serem eficientes na redução da inflamação (Gbinigie et al., 2020). O epitélio da bexiga precisa se manter íntegro e para manter a sua capacidade de combater infecções, essas células produzem glicosaminoglicano polissacarídeo sulfatado (GAG). Alguns fatores secretados por E. coli e outros patógenos, são capazes de danificar a camada de GAG ​​para preparar sua adesão. Um estudo (2019) mostrou que a suplementação combinada de dois nutracêuticos, ácido hialurônico e a condroitina, associadas com cúrcuma e quercetina, pode ajudar na prevenção de ITUs de repetição, em mulheres no período fértil e menopausadas.

E quanto à candidíase? Será que manejos nutricionais podem amenizar o quadro?

Em torno de 75% das mulheres terão um episódio de candidíase vulvogenital do trato genital. A inflamação da mucosa vaginal desencadeada pela presença de fungos do gênero Candida pode ser assintomática ou sintomática, tendo como os sintomas mais comuns a irritação, prurido, presença ou não de corrimento de cor branca, queimação e disúria. O consumo em excesso de carboidratos refinados, como farinhas e açúcares, se associa com aumento da candidíase recorrente, pelo fato da glicose ser um dos principais substratos para o crescimento da Candida albicans. Melhorar essa qualidade de carboidratos se torna um ponto estratégico na modulação dietética do paciente com candidíase. Quando à suplementação, pode-se destacar a potente ação fungicida comprovada do uso tabletes de alho de 1500 mg ricos em alicina, diariamente. Em um estudo (2015) dois grupos tiveram redução significativa dos sintomas e da redução da cultura fúngica, com a suplementação de alho, indicando ser um excelente aliado no tratamento da candidíase. Atualize suas condutas clínicas avançadas nas saúde e beleza da mulher, com foco em uronutrição no EBOOK COMPLETO DE URONUTRIÇÃO.

Referências:

Gbinigie OA, Spencer EA, Heneghan CJ, Lee JJ, Butler CC. Cranberry Extract for Symptoms of Acute, Uncomplicated Urinary Tract Infection: A Systematic Review. Antibiotics (Basel). 2020 Dec 25;10(1):12. doi: 10.3390/antibiotics10010012. PMID: 33375566; PMCID: PMC7824375. RANFAING, J. et al. Propolis potentiates the effect of cranberry (Vaccinium macrocarpon) against the virulence of uropathogenic Escherichia coli. Sci Rep., v.8, p.10706, 2018. SCHIAVI, M. C. et al. Orally Administered Combination of Hyaluronic Acid, Chondroitin Sulfate, Curcumin, and Quercetin in the Prevention of Postcoital Recurrent Urinary Tract Infections: Analysis of 98 Women in Reproductive Age After 6 Months of Treatment. Female Pelvic Med Reconstr Surg., v.25, n.4, p.309-312, 2019. TORELLA, M. et al. Efficacy of an orally administered combination of hyaluronic acid, chondroitin sulfate, curcumin and quercetin for the prevention of recurrent urinary tract infections in postmenopausal women. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol, v.207, p.125-128, 2016. Vahedpoor Z, Abastabar M, Sehat M, Talebian P, Felfelian Fini T, Dastanpour Z, Haghani I, Chelongarian R, Nazeri M. Vaginal and oral use of probiotics as adjunctive therapy to fluconazole in patients with vulvovaginal candidiasis: A clinical trial on Iranian women. Curr Med Mycol. 2021 Sep;7(3):36-43. doi: 10.18502/cmm.7.3.7803. PMID: 35528620; PMCID: PMC9006731. PASCHOAL, V.; NAVES, A.; FONSECA, A.B.B.L. Nutrição Clínica Funcional: Dos Princípios à Prática Clínica. 2ª Edição. São Paulo: Valéria Paschoal Editora Ltda. 2014. KUMAMOTO, C. A.; GRASNIGT, M. S.; HUBE, B. The gut, the bad and the harmless: Candida albicans as a commensal and opportunistic pathogen in the intestine. Current Opinion in Microbiology, v.56, p. 7-15, 2020. MARTINEZ, R.C.R. et al. Improved treatment of vulvovaginal candidiasis with fluconazole plus probiotic Lactobacillus rhamnosus GR-1 and Lactobacillus reuteri RC-14. Letters in Applied Microbiology, v.48, n.3, p.269-274, 2009. ENOCH, D.A. et al. The Changing Epidemiology of Invasive Fungal Infections. Methods in Molecular Biology, v. 1508, p. 17-65, 2017. LIMA, E.B.C. et al. Cocos nucifera (L.) (Arecaceae): A phytochemical and pharmacological review. Brazilian Journal of Medicine Biological, v. 48, n. 11, p. 953-64, 2015. LIU, Q. et al. Antibacterial and Antifungal Activities of Spices. International Journal of Molecular Sciences, v. 18, n. 6, p. 1283, 2017. EBRAHIMY, F. et al. Comparison of the therapeutic effects of Garcin(®) and fluconazole on Candida vaginitis. Singapore Medical Journal, v. 56, n. 10, p. 567-572, 2015. SELEEM, D; PARDI, V.; MURATA, R.M. Review of flavonoids: A diverse group of natural compounds with anti-Candida albicans activity in vitro. Archives of Oral Biology, v. 76, p. 76-83, 2017.

Deixe um comentário

Blogs recentes