O público feminino é considerado o mais expressivo na busca de alternativas para modulação estética. A preocupação com a composição corporal, os baixos índices de gordura, a saúde da pele e o fortalecimento das unhas e dos cabelos torna-se mais evidente conforme progride o processo do envelhecimento do organismo. As diferentes fases da vida da mulher também são marcadas por inúmeras alterações fisiológicas que são, normalmente, balanceadas com a nutrição estética.

Os chás à base de plantas, ervas medicinais e até mesmo frutas são eficientes em diversas propriedades na saúde feminina, já comprovadas por trabalhos científicos. Confira 5 deles que podem ser inclusos na prescrição nutricional:

  1. Chá de amora: Aumento da oxidação de gordura

Um estudo (2018) demonstrou os efeitos das antocianinas presentes na amora-preta sobre a oxidação de gordura. Esses fitoativos podem favorecer o aumento da atividade da lipase lipoproteica no músculo e, de forma contrária, menor atividade no tecido adiposo, facilitando a oxidação de ácidos graxos e utilização como fonte bioenergética. A prescrição de amora em forma de chá é uma estratégia nutricional eficiente.

  1. Chá de funcho: Modulação da saúde feminina

O funcho é uma erva, normalmente consumida em forma de chá, que possui eficácia na modulação da saúde feminina, principalmente, por atuar como galactagogo, estimulando a produção de leite materno. Além disso, sua qualidade fitoquímica auxilia no controle de dismenorreia no período de pós-menopausa.

  1. Chá de camomila: Melhora da mastalgia feminina

A mastalgia, sintoma que precede o período menstrual nas mulheres, pode ser de gravidade leve a moderada. Um estudo (2018) avaliou os efeitos do extrato de camomila no controle da dor mamária cíclica, em ensaio randomizado com 60 pacientes. Os achados do trabalho mostraram que a camomila, normalmente prescrita em forma de chás, traz benefícios para minimizar a mastalgia nesta fase do ciclo feminino.

  1. Chá de hibisco: Modelação corporal

O extrato de hibiscus, prescrito comumente em forma de chá, apresenta um potencial regulador metabólico e alta eficácia na modelação de medidas corporais. Os polifenois encontrados na planta, sobretudo a cianidina 3-glicosídeo e ácido protocateico, possuem ação benéfica na redução de peso corporal, do tecido adiposo e da relação cintura-quadril, segundo resultados obtidos em ensaio clínico (2014) realizado com indivíduos sobrepeso.

  1. Chá de Ginseng: Fotoproteção dérmica

O fotoenvelhecimento é causado pela irradiação UVB que leva à uma regulação positiva de metaloproteinases da matriz dérmica, causando degradação de colágeno na pele. Um estudo (2017) mostrou os efeitos antioxidantes e moduladores do Panax ginseng com Crataegus pinnatifda (haw chinês) na proteção de fibroblastos e expressão de procolágeno tipo I.

Venha conhecer a Vila dos Chás no #MBNE2019, com degustação de ervas e combinações exclusivas!

 

REFERÊNCIAS

SOLVERSON, P. et al. Blackberry Feeding Increases Fat Oxidation and Improves Insulin Sensitivity in Overweight and Obese Males. Nutrients, v. 10, n. 1048, p. 1-16, 2018.

LEE, H. et al. Fennel (Foeniculum vulgare) on management of menopausal symptoms. Medicine, v. 97, n. 13, p. 1-3, 2018.

SAGHAFI, N. et al. Effectiveness of Matricaria chamomilla (chamomile) extract on pain control of cyclic mastalgia: a double-blind randomised controlled trial. J Obstet Gynaecol., v. 38, n. 1, p. 81-84, jan. 2018.

CHANG, H. et al. Hibiscus sabdariffa extract inhibits obesity and fat accumulation, and improves liver steatosis in humans. Food Funct., v. 5, n. 4, p. 734-9, 2014.

HWANG, E. et al. Antiaging effects of the mixture of Panax ginseng and Crataegus pinnatifida in human dermal fibroblasts and healthy human skin. J Ginseng Res., v. 41, p. 69-77, 2017.